Banner
Voltar para Ideas

#Economia

Mitos e verdades sobre o livre mercado

Mitos e verdades sobre o livre mercado

Mito 1: O livre-mercado só é bom para os empresários ricos
Verdade: A alta regulação prejudica muita mais as pessoas pobres e sem influência com políticos. Do pequeno empreendedor, que não tem como contratar um setor específico para cuidar da burocracia, ao desempregado, que não consegue emprego porque o governo dificulta a abertura de empresas.

Mito 2: O governo precisa proteger a indústria nacional
Verdade: Todas as vezes que o governo tentou fazer isso, deu errado. Um exemplo clássico é a Lei de Informática, que proibia eletrônicos importados. A expectativa era que a indústria nacional suprisse a demanda interna, mas o que ocorreu foi um gigantesco atraso tecnológico no país. Isolada em relação ao mundo, a indústria de informática brasileira começou a comercializar produtos de tecnologia cada vez mais atrasada, por preços cada vez mais altos.

Mito 3: O “mercado” é um ente abstrato
Verdade: O mercado nada mais é do que as pessoas escolhendo o que vão comprar e vender. E livre-mercado é um termo conciso para um arranjo de trocas que ocorrem na sociedade, sem precisar de interferência de terceiros. Cada troca acontece como um acordo voluntário entre duas pessoas ou entre grupos de pessoas representados por agentes.

Mito 4: A busca pelo lucro é algo maléfico para a sociedade
Verdade: Foi exatamente a busca pelo lucro que fez a sociedade evoluir até aqui. O lucro é o principal incentivo que faz as pessoas produzirem bens e serviços dos quais outras pessoas precisam. Se não fosse ele, talvez ninguém tivesse se interessado em produzir esse celular que você tem agora em suas mãos.

Mito 5: Em qualquer comércio, uma parte só pode se beneficiar às custas da outra
Verdade: Uma troca voluntária só é feita se ambas as partes acreditarem estar ganhando com ela. Também, cada parte irá repetir a troca da próxima vez (ou se recusar a) porque sua expectativa se provou correta (ou incorreta) no passado recente. Nesta relação, não é preciso que um perca para o outro ganhar. Isso acontece porque o valor atribuído a uma mercadoria é subjetivo e diferente para cada indivíduo: enquanto você precisa do pão para tomar o seu café da manhã, o padeiro fabricou dezenas deles, e precisa do seu dinheiro para comprar outros itens de consumo para sua família.

Mito 6: O dinheiro é o mal do mundo
Verdade: O dinheiro é apenas uma ferramenta que surgiu para facilitar as trocas voluntárias. Imagine se toda vez que você precisasse comprar comida pra a sua casa, tivesse que levar ao supermercado o equivalente em outro produto, fabricado por você? E se o vendedor de melancias não se interessasse pelo seu serviço de advogado? Como mensurar em quilos de arroz, quanto vale uma blusa no shopping? Sem dúvida, se não existisse o dinheiro, as trocas voluntárias seriam muito mais complicadas...