Banner
Voltar para Ideas

#100 Anos

A Revolução Russa não merece homenagens

A Revolução Russa não merece homenagens

A revolução soviética foi um dos acontecimentos mais marcantes do século XX. Na época, a Rússia participava da Primeira Guerra Mundial e sofria com os graves problemas de abastecimento gerados pelo conflito, mote de diversas revoltas populares que resultaram na queda do Czar. Nicolau II era um líder totalitário e a ineficiência de seu governo centralizador aprofundava cada vez mais as mazelas sociais do país. Todavia, o futuro reservava um destino ainda mais sombrio para os soviéticos: ao tomar o poder, em outubro de 1917, os bolcheviques iniciavam um longo período de repressão e violência sem precedentes na história da Rússia e dos países que mais tarde seriam submetidos ao autoritarismo de ditaduras por anos a fio.

Logo que assumiu o governo, Lenin tratou de censurar os órgãos de imprensa que poderiam ameaçar a hegemonia de seu regime frente à opinião pública. Em seguida, dissolveu a Assembleia Constituinte e criou a Tcheka, uma tropa de repressão que não hesitava em lançar mão da violência para perseguir opositores, líderes religiosos e minorias étnicas. Também oprimiu os operários através da militarização do trabalho, promovida por Leon Trotsky, quando sindicatos e trabalhadores foram impossibilitados de fazer greves. Com a população previamente desarmada, os bolcheviques estabeleceram diversas outras medidas autoritárias, como o confisco de grãos. O governo soviético ordenou que os camponeses fornecessem cotas de sua produção ao Estado, impossibilitando a criação de excedentes agrícolas. Esta política causou a morte por inanição de cerca de 5 milhões de pessoas e, mais tarde, foi imposta em países como a Ucrânia, estabelecendo o imperialismo característico do regime russo que entraria em voga em outras nações nos tempos por vir.

A revolução de 1917 comprova os desastrosos resultados gerados pelo coletivismo. A ditadura de Lenin precedeu outros governos genocidas que marcaram o século passado e ceifaram a vida de milhões de pessoas. Apesar das repetidas tentativas de mistificação, a história revela que a revolução soviética foi o estopim de um período marcado por escravidão, execuções, exílios, perseguições e violações dos direitos humanos. A primeira grande experiência socialista da humanidade mostra o equívoco de uma ideologia que produziu miséria e morte ao redor do mundo.