Banner
Voltar para Ideas

#LIBERDADE ECONÔMICA

A receita da prosperidade em Cingapura

A receita da prosperidade em Cingapura

Cingapura não é nenhum exemplo de respeito às liberdades civis, mas em termos econômicos, eles nos dão um banho. Segundo país mais fácil de fazer negócios, segundo o ranking Doing Business 2017, perde apenas para a Nova Zelândia no ambiente propício ao empreendedorismo. Não por coincidência, também está em segundo lugar no ranking da liberdade econômica. E mais liberdade econômica significa mais empreendedorismo, mais empregos, mais renda, mais riquezas produzidas. Ou seja, todos ganham. Enumeramos 8 motivos pelos quais a economia de Cingapura está indo tão bem:

1) Cingapura tem, hoje, a mais extensa rede de acordos de comércio livre (ALC) na Ásia, o que inclui economias-chave como Estados Unidos, Japão, Austrália e Nova Zelândia;

2) Desde 2005, as empresas recebem isenção total de impostos sobre os primeiros 100 mil dólares de receita normal e isenção adicional de 50% sobre os próximos 200 mil dólares nos três primeiros anos;

3) Lá é possível abrir uma empresa em um ou dois dias;

4) A regulação a empresas privadas é mínima;

5) Enquanto a maioria dos países do Terceiro Mundo denunciava a exploração das multinacionais ocidentais, Cingapura as convidou a se instalar no país. Hoje, Cingapura não faz mais parte desse grupo de países;

6) O Estado é pequeno, e o gasto público em relação ao PIB é metade do americano e um terço do Sueco;

7) Não por coincidência, é o sétimo menos corrupto do mundo. Quanto menor o Estado, menor a corrupção;

8) A moeda é forte porque não tem interferência política. No sistema de Currency Board, a moeda nacional é totalmente atrelada a uma moeda estrangeira (no caso de Cingapura, o dólar de Cingapura nasceu ancorado à libra esterlina, depois passou para o dólar, e depois para uma cesta de moedas), e a variação da base monetária nacional se dá de acordo com o saldo do balanço de pagamentos (saldo da quantidade de moeda estrangeira que entra e sai da economia nacional). Todo o arranjo funciona como se estivesse no piloto automático.

Dizem por aí que teve um país que recentemente fez tudo ao contrário e obteve o resultado inverso. Alguém adivinha qual foi? Começa com “V” e termina com “enezuela”...

Fontes: https://goo.gl/dscegd; https://goo.gl/h5MZE1