Banner
Voltar para Ideas

#Reforma do Estado

Precisamos acabar com a Bolsa Empresário

Precisamos acabar com a Bolsa Empresário

Usando o Bolsa Família como vitrine, desde a era Lula, o governo tentou te convencer que, nos últimos anos, sua maior preocupação era com os pobres. Mas Matemática não tem ideologia, e quando os números vêem à tona, podemos ter a exata dimensão de quem ficava com a maior parte das benesses estatais, todas elas – vale relembrar – concedidas com o seu dinheiro.

Somados, todos os programas sociais (Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Fies, subsídios na conta de luz, etc) custaram R$ 372 bilhões aos cofres públicos entre 2003 e 2016. É como se cada um dos 85 milhões de brasileiros beneficiados por algum desses programas tivesse recebido uma média de R$ 437 por ano em dinheiro público. Esses poderiam dar em troca apenas seu voto.

Na outra ponta, no entanto, estavam os verdadeiros protegidos do governo. Em condições de negociar favores muito maiores, um grupo seleto, de pouco mais de 1.000 empresas do país recebeu nada menos que R$ 1 trilhão neste mesmo período. Refazendo a conta, cada uma recebeu, em média R$ 1 bilhão por todo o período, ou aproximadamente R$ 71,5 milhões por ano.

Conhecidos como 'bolsa empresário', esses subsídios serviram para conceder crédito mais barato, prover garantias e até socorrer empresas ou setores inteiros. O custo desses benefícios foi arcado, inclusive, por aqueles que compõem o primeiro grupo (o dos programas sociais), que pagam mensalmente 53,9% da sua renda em impostos.

Será mesmo que a dupla PT + PMDB se preocupa tanto assim com os pobres?